Friday, March 18, 2011

O Meu Telemóvel Foi-Se

Acabo de perder o telemóvel (na verdade, furtaram-mo porque se eu sei onde o deixei e se quando lhe ligo está desligado...).
Poderia falar do imenso mal estar que me causa porque quando se perde assim uma coisa perde-se mais do que a coisa e o que ela custou (e este custou muito) mas não me apetece. O leite foi derramado, nada a fazer.
Porque acabei de participar o ocorrido à polícia, lembrei-me do motivo por que não gosto de funcionários públicos. Não, desta vez não correu mal mas a anterior, que relatarei, correu e só não correu pior porque quando a coisa ia azedar a sério apareceu um agente com dedo e meio de testa.

O que aconteceu e como aconteceu, em resumo (porque seria maçador demais contar tudo) foi o seguinte:
Furtaram o cartão de multibanco à minha mãe. Sim, poderia ter sido apenas perdido mas, de facto, não foi. A menos, claro, que o cartão, ciente de que tinha uma casa para governar, tivesse ido ao Pingo Doce para se abastecer.
Ora, a coisa começou assim:

EU - Boa tarde, queria apresentar queixa porque o cartão multibanco da minha mãe foi furtado.
PSP - Sim senhor. Bem, o meu turno acaba daqui a 15 minutos e o meu substituto deve estar a chegar. Seria melhor ser ele a tomar conta da ocorrência.
(pacientemente, porque estava acompanhado da minha mãe, acedi esperar 10 minutos para não lhe complicar a vida e, especialmente, para não me irritar)
- Os 10 minutos passaram e do substituto nada. Então, o PSP resmunga entre dentes e com o outro PSP ao lado que ia apanhar trânsito, que não lhe pagam para isto, que ainda ia para longe...e sai-se com esta pérola:
PSP - Bem...talvez o melhor fosse apresentar a queixa amanhã...Não preferem assim?
EU - Não. Se preferisse assim tinha cá vindo amanhã. Se vim hoje é porque prefiro hoje.
(e a temperatura a aquecer, manifestamente.)
PSP - Pois...mas se fosse um advogado a apresentar talvez fosse melhor...
(há tipos com muito azar)
EU - Isso não será problema nenhum nem temos de esperar por amanhã. Eu sou advogado e, se me der uma folha de papel, apresento a queixa, já, escrita por mim.
(naturalmente, isto não lhe interessava porque se assim fosse, além de tudo que já tinha de escrever - um extensíssimo formulário com, talvez, 4 alíneas - teria de copiar aquilo que eu viesse a escrever...naturalmente, declinou)
PSP - Então, o cartão extraviou-se.
EU - Não. Se se tivesse extraviado estaria inactivo, perdido em algum lado. Como repara do extracto que lhe mostrei, foram efectuados pagamentos e levantamentos depois do extravio. Como isto aconteceu, é furto.
(se fosse extravio, era só preciso preencher o formulário. Se fosse furto, como era, tinha de participar ao MP e, depois, oh cruel destino, investigar. Investigar? A Polícia?!)
PSP - Já vou chegar atrasado a casa (eram umas 17.30), tinha de me aparecer isto. Olhe, se não sabe quem foi e nem exactamente onde o deixou, é extravio.
EU - Olhe: já lhe expliquei o conceito de furto e o motivo da diferença entre isto e extravio. Se quiser, pegue no código penal e verá que tenho razão. Se tem pressa para ir embora, se o seu colega não aparece, se não lhe pagam horas extraordinárias é problema seu e do Estado. Se quiser ir escrevendo o que entende, muito bem. Quando chegar o momento de assinar não assino e começa tudo outra vez!
(foi aqui que o outro PSP começou a ver que aquilo não ia acabar bem. Tinha toda a razão, eu já não via coisa com coisa e dali a queixa formal contra aquele idiota faltavam uns 3 minutos. Isto era óbvio para todos e, como acontece nestes momentos, já pouco havia a fazer, o ódio estava a tomar conta de mim)
PSP1 - Ó PSP, faz lá como o Sr. Dr. diz, a queixa é dele e ele é que sabe. Acalma-te lá!

A partir daqui a coisa correu menos mal.
O que fica é este exemplo de, mais do que incompetência, falta de vontade de fazer o trabalho para o qual também eu lhe pago. O que fica é este exemplo de habituação a que se aceite esta leviandade de alguns agentes de autoridade. Não tivesse eu o mau feitio que tenho e não fosse eu advogado e, o mais certo, seria ir e voltar no dia seguinte, como foi sugerido. Aliás, enquando estava na esquadra apareceu um casal de velho que, pelo que percebi, teria sido ou ameaçado ou agredido e foi-lhe sugerido o mesmo que a mim: voltem amanhã! E eles, coitados, fizeram mesmo isso.

1 Comments:

Blogger A Escafandrista said...

continuamos as conversas por blog mesmo. uma pena não usares o msn nakele endereço q me deste. queria saber o que fazes... além de escrever este blog ;) abraços.

8:29 PM  

Post a Comment

<< Home