Saturday, August 12, 2006

Os Olhos de Quem a Vê



É daquelas verdades que até já deu origem a bordão popular: "Quem feio ama bonito lhe parece".
Acredito que até esta verdade que também eu tenho como absoluta tem limites, ninguém de bom senso achará Anjelina Jolie menos que linda como ninguém achará Odete Santos menos que feia...mas acredito que se poderá, em tese, amar ambas com a mesma intencidade.
Nunca me foi possível apaixonar por uma qualquer mulher por ser bonita (apesar de que, evidentemente, prefiro que o seja).
A pele é efemera mas o espírito não.
Já tive casos com mulheres lindas que não duraram mais do que uma semanita (às vezes nem isso), nada me doi mais na alma do que um jantar em que não se sabe o que se vai dizer...ou não se tem. É uma dor sem par utilizares um humor um pouco mais rebuscado do que "Os Malucos do Riso" e não teres resposta....pra mim não dá...eu não aguento....
Não estou a fazer uma apologia a mim próprio e que só o interior me interessa, não sou falso a esse ponto.
Adoro um peito empinado, um rabo rijo, umas coxas torneadas, uma boca carnuda, enfim, gosto de um belo embrulho.
Assumo mesmo que durante um certo período de tempo nada mais me interessa do que isso, no entanto, tem prazo de validade. Quando o brinquedo já não é novo perde a graça e vei pra prateleira.
Não estou também a dizer que uma mulher linda é por isso mesmo desinteressante. Agradeço a todas as entidades divinas que encontro na imaginação pelo facto de ter prova em contrário.
Existem mulheres lindas e interessantes...apesar de eu ver nisso concorrência desleal ehehehe.
Lembro-me, infelizmente, de um jantar em concreto há um bom tempo...um erro com o qual aprendi.
Conheci uma menina LINDA numa discoteca. Conversa casual e tal e pareceu-me, efectivamente, interessante.
Contrariando as minhas regras (primeiro avanço sempre pra um café, é uma forma fácil de ver se se confirma a impressão e mais fácil ainda de me raspar quando não se confirma) convidei-a para jantar.
Meia hora depois do jantar começar estava a pedir outra garrafa de vinho...já não estava a aguentar.
Rematei com dois wiskheys pra anestesiar a dor e fui levá-la a casa.
Chegado à porta de casa dela o clássico "queres subir?", ao que respondi "melhor não, tenho de me levantar cedo" (assumo que mesmo com o desastroso jantar...ainda ponderei eheheh).
Não...pá...gente chata não.
Admito até gente burra...chata não aguento.
Tudo isto porquê?
Porque adoro o deserto e porque gosto da constante mutação em que se encontra apesar de parecer sempre igual.
As dunas que acordam não estão iguais às dunas que se deitam.
Há quem goste do Arco do Triunfo, da Torre de Pizza, das praias da Polinésia Francesa...a mim isso parece-me permanentemente igual e imutável.
Gosto da renovação, gosto do deserto.
ps: juro que não fumei nada antes de escrever eheheh

1 Comments:

Blogger MNN said...

Parabéns..um bom blog..de um FDP para outro FDP.

8:12 AM  

Post a Comment

<< Home